VOCÊ NÃO ESTÁ NA PÁGINA PRINCIPAL. CLIQUE AQUI PARA RETORNAR






quinta-feira, julho 20, 2006

Advertência de Cristo sobre a Tentação.

Os discípulos se sentiam seguros, embora o perigo estivesse rondando por perto!Foi nessa circunstância que o Senhor fez esta advertência"vigiai e orai, para que não caiais em tentação" [Mat 26.41; Mc 14.38; Luc 22.46]. Cada discípulo de Cristo precisa da mesma advertência. Esta advertência contém três lições básicas que cada cristão precisa aprender realmente bem.

1) Cada cristão precisa estar constantemente alerta para a tentação.

2) "Cair em tentação" é experimentar a tentação na sua forma mais poderosa e perigosa.

3) Para evitar que venha a ser atingido por uma experiência de tentação, o cristão precisa aprender a "vigiar e orar".

Antes de estarmos prontos para qualquer uma destas lições, pecisamos examinar o ensino básico da Bíblia sobre a tentação. Na Bíblia vemos dois tipos diferentes de tentação. Há um modo bom de tentação que Deus usa; há um tipo mau que satanás utiliza. A tentação é como um cutelo. Ele tanto pode ser usado para um propósito bom como para um propósito mau; pode ser usado para cortar carne que um homem come, ou para cortar a garganta dele.

1. O BOM TIPO DE TENTAÇÃO QUE DEUS USA.

Às vezes a Bílbia usa a palavra tentação para significar teste ou provação (Nota - apenas as traduções modernas - usam a palavra "teste" ou "provação" ao invés de "tentação" - quando se refere a atividade de Deus) - Abraão foi testado por Deus (Gn 22.1ss) e de um modo ou de outro todos os cristãos estão sujeitos a provações ou testes (por ex. Tg 1.2 e 1Pe 1.6).

Há dois pontos importantes a serem observados em relação a essas provações.

Nota 1 -
O propósito de Deus ao enviar as provações

a) As provações ajudam o cristão a conhecer sua saúde espiritual.

Ás vezes a experiência de uma provação revelará ao cristão vertudes espirituais que Deus está produzindo na sua vida. A provação de Abraão mostrou como sua fé era forte. Freqüentemente a provação mostrará ao cristão certos males no seu coração dos quais ele antes não tinha tomado consciência. Deus provou Ezequias e lhe revelou o orgulho do seu coração (2Cr 32.31). Ocasionalmente os cristãos precisam ser encorajados
por verem graças espirituais operando em suas vidas. Noutras ocasiões cristãos precisam ser humilhados tomando consciência de males ocultos nos seus corações. Deus cuida destas duas necessidades por meio da utilização de provações adequadas.

b) As provações ajudam o cristão a conhecer mais a respeito de Deus

i) É só Deus que pode guardar o cristão para que ele não caia em pecado. até sermos tentados pensamos que podemos lidar com a tentação mediante as nossas próprias forças. Pedro pensou que ele nunca negaria o seu Senhor. A tentação lhe mostrou que O negaria (Mt 26.33-35; 69-75).

ii) Quando compreendemos nossa fraqueza e o pode da tentação, estamos em condições de descobrir o pode da graça de Deus. Esta foi a grande lição queu o apóstolo Paulo aprendeu por meio do seu "espinho na carne" (2Cor 12.7-10).

Nota 2 - Deus despõe de muitas maneiras para testar o Seu povo

Deus testa cada cristão de uma maneira muito pessoal. Aqui estão três exemplos dos métodos que Deus usa para testar o Seu povo.

a) Ele os testa dando-lhes deveres que estão acima de seus próprios recursos

O apóstolo Paulo se refere a tais testes quando escreve: "...a tribulação... foi acima das nossas forças" (2Co 1.8). Este foi o teste que o Senhor usou paa ensinar Paulo Paulo a "que não confiemos em nós, e, sim, no Deus que ressuscita os mortos" (2Co 1.9). Os cristãos não devem ficar surpresos ou desanimados se Deus lhes der uma tarefa que parece estar além das suas capacidades. Desta maneira Deus testa os cristãos, para lhes mostar se sua fé no poder de Deus é forte ou fraca.

b) Ele testa os cristãos permitindo que sofram por sua fé

Ás vezes o sofrimento severo chegando mesmo até a morte. Tal sofrimento é uma provação que a maior parte dos cristãos teme. Muitoss deles, porém, têm encontrado forças inesperadas que lhes têm sido concedidas para suportarem torturas ou até mesmo a própria morte por amor a Cristo. Todos os cristãos são chamados para apóstolo Pedro denomina tais sofrimentos de "provo da vossa fé" (1Pe 1.7).

c) Ele testa os cristãos permitindo que se degrontem com falsos mestres ou com um falso ensino

Deus testa a lealdade e o amor do cristão por Ele desta maneira. Deuterômio 13.1ss nos dá um exemplo deste tipo de provação.

Esses são três exemplos da variedade de métodos que Deus emprega para testar o Seu povo. Este tipo de provação que Deus usa tem sempre em vista o bem do Seu povo. Estamos agora em condições de nos voltarmos pra o tipo de tentação que satanás emprega.

2. O TIPO MAU DE TENTAÇÃO QUE SATANÁS USA.

Os dois tipos de tentação contém a idéia de provação. A tentação sempre é uma provação. O propósito da tentação que satanás usa é ponto que devemos lembrar. A tentação deste tipo é uma provação cujo intuito é levar a pessoa a pecar. Deus nunca é o autor deste tipo de tentação (Tg 1.13). Este é o tipo de tentação a que o Senhor se referia quando advertiu os discípulos. É este tipo de tentação que iremos estudar.

A Bíblia ensina que há três razões principais para este tipo de tentação. Às vezes estas causas agem conjuntamente; outras vezes em separado.

Primeiro - O diabo é um tentador

Duas vezes no Novo Testamento o diabo, ou satanás, é chamado de "o tentador" (Mt 4.3; 1Ts 3.5) Às vezes o diabo tanta um cristão a pecar colocando pensamentos maus ou blasfemos em sua mente. Outras vezes há tentação para duvidar da realidade de Deus ou da verdade da Sua Palavra. Esta tentação freqüentemente vem por meio de maus pensamentos introjetados na mente pelo diabo. As tentações deste tipo são geralmente denominadas de "dardos inflamados do inimigo" (Ef 6.16). O cristão não é culpado de pecado por causa destes pensamentos que vêm a sua mente. O cristão só é culpado de pecado se acolher estes pensamentos.

Mais freqüentemente o diabo tenta valendo-se de duas outras maneiras:

Segundo - O mundo (incluindo pessoas mundanas) é um tentador.

Um pescador usa como isca um verme saboroso para apanhar o peixe. Da mesma maneira o diabo freqüentemtente usa como isca alguma coisa atraente do mundo para persuadir a pessoa a pecar. Quando o diabo tentou Cristo, ele usou os reinos deste mundo como a sua isca. Foi uma criada que tentou Pedro a negar o Seu Senhor (Mat 26.69). O mundo com suas coisas e pessoas é uma fonte constante de tentação para os cristãos.

Terceiro - A carne (ou seja, os desejos egoístas) é um tentador

Às vezes o diabo age por intermédio dos desejos de uma pessoa para tentá-la. O diabo tentou Judas a trair o Seu Senhor valendo-se tanto da ajuda do mundo (ou seja, os fariseus e trinta peças de prata, Mat 26.14-16) como da própria natureza ambiciosa de Judas. Nas palavras de Tiago: "cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz" (Tg 1.14).

O tipo de tentação usado pelo diabo é sempre uma tentativa de persuadir uma pessoa a pecar. Tal tantação visa persuadir a pessoa a pecar de alguma, ou de muitas maneiras que se seguem: negligenciando os deveres que Deus lhe deu; alimentando o mal no seu coração; permitindo que satanás extraia o mal do seu coração; permitindo que de alguma maneira satanás o atraia afastando-o da comunhão com Deus; deixando de dar a Deus a obediência constante, plena e universal que Ele exige (incluindo o modo como essa obediência é prestada).

Estamos agora em condições de dedicar alguns pensamentos à primeira das três lições básicas que mendionamos no início.

Cada cristão precisa estar constantemente vigiando contra a tentação. Ilustraremos os perigos da tentação satânica sob dois pontos:

a) O grande mal que a tentação de satanás pode causar ao cristão

Um dos principais alvos da tentação é levar a pessoa a pecar. Pode ser um pecado de praticar o que Deus proíbe. Pode ser um pecado de não praticar o que Deus determina. Pode ser um pecado da carne que pode ser visto por outros. Pode ser um pecado da mente que só Deus vê. Qualquer que seja o pecado, jamais devemos esquecer que o alvo da tentação é prejudicar a saúde espiritual do cristão.

b) A grande variedade de tentações que satanás usa contra um cristão

Qualquer coisa que possa nos impedir de fazer a vontade de Deus precisa ser vista como sendo uma tentação. Pode ser algo dentro de nós (isto é, algum desejo mau) ou alguma coisa ou pessoa no mundo. Qualquer coisa que provoque ou encoraje uma pessoa a pecar é um tipo de tentação. Quase todos os desejos que alguém possa ter podem ser uma fonte de tentação. Não é em si mesmo pecaminoso ter desejos tais como: uma vida tranqüila, amigos, um bom padrão de vida, uma boa reputação ( a lista não tem fim). Todas essas coisas, porém, podem se tornar em uma fonte perigosa de tentação difícil de ser resistida. Os cristãos precisam aprender a temer as tentações que se originam nessas fontes. Precisam temer tais tentações tanto quanto temeriam aquelas que levam a pecados públicos e escandalosos. Se negligenciarmos a fazer isto estaremos mais perto da beira da ruína do que imaginamos.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home